Notícias

Imagem

Hepatite viral é transmissível? Conheça sintomas, diagnóstico e tratamento

A campanha Julho Amarelo reforça a importância da conscientização e do combate às hepatites virais
 
A hepatite viral é uma inflamação do fígado, e pode ser classificada por meio de diversas letras, dependendo do vírus responsável por provocá-la. São cinco os tipos de hepatite catalogados: A, B, C, D e E.
 
A doença é transmissível, mas o método de transmissão é diferente para cada tipo de hepatite. Em julho, mês de combate a essas doenças, por meio da campanha de prevenção e conscientização “Julho Amarelo”, a Seleções preparou um guia sobre as hepatites virais.
 

Veja, abaixo quais são os principais sintomas, como é feito o diagnóstico e qual é o tratamento para esse problema.

Quais são os sintomas da hepatite?

Todas as variedades de hepatites virais são contagiosas e podem provocar os seguintes sintomas:
 
  • Fadiga
  • Náusea
  • Febra
  • Dor de barriga
  • Olhos amarelados
Algumas hepatites virais deixam cicatrizes, podendo levar ao câncer e à necessidade de transplante de fígado.
 

Como se transmite hepatite?

  • Hepatite A: transmitida principalmente por alimentos ou água contaminados com fezes.
  • Hepatite B: encontrada no sangue, no sêmen e no fluido vaginal, e o risco fica acima da média para quem faz sexo sem proteção com vários parceiros, usa drogas injetáveis ou divide escovas de dente, lâminas de barbear ou cortadores de unha com alguém contaminado. Quando a hepatite B é contraída na idade adulta, há uma chance de 95% de que seja derrotada pelo sistema imunológico sem tratamento médico. No entanto, as crianças, contaminadas em geral durante o parto, costumam se tornar portadoras vitalícias. O tipo B não apresenta necessariamente sintomas até causar as complicações que 1/4 dos portadores crônicos corre o risco de sofrer. Portanto, a maioria das autoridades de saúde pública sugere que as crianças sejam vacinadas, assim como os adultos em risco que não se vacinaram na infância.
  • Hepatite C: disseminada principalmente pelo sangue. O risco é maior para quem tomou drogas intravenosas, dividiu itens de higiene pessoal ou recebeu transfusões de sangue antes da década de 1990, quando a tecnologia de rastreamento se tornou disponível. Ainda não há vacina para o tipo C. É comum os sintomas só aparecerem quando a lesão no fígado já é grave. A probabilidade de se livrar da doença sem tratamento é de apenas 25%. Contudo, há novos medicamentos que a curam em 90% a 97% dos casos, segundo a Dra. Helena Cortez-Pinto, médica hepatologista da entidade United European Gastroenterology.
  • Hepatite D: surge apenas como uma complicação aguda nos portadores de hepatite B.
  • Hepatite E é transmitida principalmente através de consumo de água com matéria fecal.


Como é feito o diagnóstico de hepatite viral?

O diagnóstico é realizado através de:
 
  • Exames sorológicos, que detectam se a presença inicial do vírus;
  • Exames de biologia molecular, para identificar a presença do vírus;
  • Biópsia do fígado, em caso de pacientes em estado mais avançado da doença
Por isso, é bem importante que você procure um médico assim que apresentar os primeiros sintomas.
 
Qual é o tratamento para hepatites virais?
 
O tratamento varia de acordo com o tipo de vírus. No geral, recomenda-se o uso de medicamentos antivirais e repousar, se hidratar e se alimentar bem.
 
Atenção:
 
Para ter o diagnóstico correto dos seus sintomas e fazer um tratamento eficaz e seguro, procure orientações de um médico ou farmacêutico.

 

Fonte: Revista Seleções

Categorias:

Comente esta notícia

código captcha