Notícias

Imagem

O que acontece com o cérebro quando você se exercita?

Nestes tempos de pandemia, muitas pessoas se perguntam o que fazer para se sentir bem. A resposta pode estar no exercício físico

Você conhece o ditado: “corpo são, mente sã”. Mas você já parou para pensar o que ele quer dizer? Resumidamente, o que a sabedoria popular afirma é o que os médicos e pesquisadores já suspeitam há muito tempo, e tem sido comprovado por meio de diversos estudos. Quando você realiza exercícios físicos, os benefícios também podem ser sentidos pelo seu cérebro.

O exercício regular está associado ao atraso no início dos sintomas de demência, incluindo a Doença de Alzheimer, comprovando a sua importância na população de idade mais avançada.

Entre os mais jovens, a capacidade física está positivamente relacionada com o desempenho escolar, sendo que níveis mais altos de atividade física estão associados a melhor performance cognitiva. O exercício físico também contribui para a melhoria da memória em indivíduos saudáveis.

É possível ficar “viciado” em exercícios?

Durante a realização de uma atividade física, o corpo aumenta a liberação de hormônios como a endorfina e a serotonina, associados à sensação de prazer e bem-estar. Por este motivo, é comum encontrarmos pessoas que são, literalmente, “viciadas” em fazer exercício. Você provavelmente conhece alguém assim, não é?

A médica endocrinologista Fernanda Justus Malucelli explica que isto ocorre porque, normalmente, com a prática regular de atividade física e consequente sensação de prazer, buscamos repetir esta sensação. Mas, cuidado. Como diz outro ditado: “não ponha a carroça na frente dos bois”.

– Algumas pessoas desenvolvem um vício, o que pode tornar-se prejudicial, inclusive como causa de lesões – explica a médica.

Qualquer atividade física pode estimular esta sensação de bem-estar. Porém, estudos da Universidade de Lisboa e da Universidade da Califórnia mostram que o exercício aeróbico, mais especificamente, apresenta resultados muito eficientes, podendo melhorar substancialmente o humor em doentes com episódios depressivos, por exemplo.

O que importa é se sentir bem

Como você pode ver, além de promover o fortalecimento muscular, melhorar a capacidade cardiorrespiratória, prevenir os males associados ao sedentarismo, entre tantas outras vantagens, a prática regular de exercícios físicos também é uma grande aliada do seu cérebro, ajudando a aumentar a capacidade de aprendizado, melhorar a memória e retardar o aparecimento de doenças degenerativas, como é o caso do Mal de Alzheimer.

E o melhor: todos estes benefícios dependem apenas de você. Uma mudança de hábito faz toda a diferença para a sua saúde, ajudando-o a viver com mais qualidade de vida e melhorando a sensação de bem-estar, algo tão importante atualmente. Então, bora se exercitar e ser mais feliz!

Imagem: katemangostar

Fonte: Globo Esporte

Categorias:

Comente esta notícia

código captcha
Desenvolvido por Agência Confraria