Notícias

Imagem

Na pandemia, a solidariedade tem sido o melhor remédio

DS Curitiba já realizou cerca de R$ 55 mil em doações para projetos e instituições sociais que atendem pessoas em situação de vulnerabilidade
 
A pandemia do coronavírus, que começou na China e que em pouco tempo se propagou em todo o mundo, provocou mudanças nas relações pessoais, sociais e profissionais. O Brasil, um dos países mais afetados pela doença, já alcançou mais de 4,6 milhões de casos e a cada dia chega a marca triste de 150 mil mortos, a grande maioria delas de pessoas pobres, que dependem exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS) — que há muito tempo sofre com o sucateamento e falta de recursos por parte do Governo Federal.
 
A Delegacia Sindical de Curitiba do Sindifisco Nacional, comprometida com a sociedade e lutando contra a desigualdade social, enxergou que poderia contribuir ainda mais neste momento difícil de crise que o país enfrenta. Devido às medidas para evitar a proliferação do vírus — distanciamento e isolamento social, uso de máscaras e proibição de aglomerações —, não era possível realizar as tradicionais confraternizações de aniversário dos filiados. A Diretoria entendeu, com o apoio dos filiados, que os recursos que seriam utilizados para este fim poderiam fazer a diferença para diversas famílias que vivem em situação de vulnerabilidade social e que não possuíam condições de terem um alimento na mesa. Foi desta forma que surgiu, juntamente com outras Delegacias Sindicais pelo Brasil, a campanha Tributo à Vida.
 
A primeira doação feita pela entidade foi ao Projeto Resgate, coordenado pela Leonice Piski. Com uma história de 18 anos, a iniciativa auxilia famílias de Curitiba e Região Metropolitana com roupas, alimentos, dando mais dignidade para essas pessoas. “As cestas entregues pelo sindicato vão para quatro lugares: Vila Pantanal, onde temos o projeto; Centenário; Tranqueira; e Osternack. Nós fazemos um rodízio para que um maior número de pessoas seja alcançado”, afirma Leonice. “Nós trabalhamos com pessoas muito carentes, que trabalham com reciclagem, autônomos, ou perderam seus empregos por causa da pandemia. Quando você dá uma cesta básica para essas famílias, elas conseguem, com o dinheiro do trabalho, comprar outras coisas além do arroz e feijão”, explica. 
 
O Projeto Resgate foi o primeiro a receber as doações da entidade, em abril. Ao longo de cinco meses, foram 400 cestas básicas doadas. “A parceria que a DS Curitiba tem com o Projeto Resgate é de extrema importância pois, se nós conseguimos cestas básicas para poder acalentar essas famílias que estão passando por uma dificuldade financeira, eu consigo colocar em prática outros projetos, como as marmitas que são entregues todas as segundas-feiras, comprar fraldas, produtos de higiene e de limpeza para essas famílias, e também organizar eventos, como o Dia das Crianças, agora em outubro”, conclui Leonice, sobre as doações realizadas pela DS Curitiba.
 
Em maio, os projetos Marmita Solidária e Itinerante Resistência, que distribuem marmitas para moradores em situação de rua em Curitiba e comunidades carentes, também passaram a receber doações da entidade. Ao todo, foram dez entregas de alimentos para produção das marmitas. “Em tempos de crise como a que estamos vivendo é natural que as pessoas passem a gastar menos e uma das primeiras coisas que elas irão abolir do orçamento são as doações”, explica Tatiane Krick, do Itinerante.
 
“Nós somos um grupo não governamental, sem vínculos partidários ou religiosos e sem fins lucrativos. Assim, dependemos totalmente de parcerias e doações para que possamos manter nossa estrutura e conduzir nossas atividades da melhor maneira possível. As doações que temos recebido da DS Curitiba estão nos ajudando imensamente”, completa. Além dos moradores em situação de rua, o projeto também atende a aldeia indígena Araça-í, em Piraquara, que recebeu da DS mais de 350 caixas de leite e cerca de 100 pacotes de café.
 
A Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional (Fepe), instituição filantrópica criada em 1959 e que atende pessoas com deficiência intelectual e múltipla deficiência, também recebeu cestas básicas da DS Curitiba. Com atuação nas áreas de saúde, educação, prevenção e atendimento especializado, a instituição suspendeu as atividades presenciais com os alunos, mas continuou oferecendo atendimento e realizando a entrega de doações para as famílias. 
 
“Graças ao apoio da DS Curitiba, temos tido a oportunidade de garantir que as necessidades básicas, como a alimentação e a higiene pessoal, não faltem na casa das famílias beneficiadas por esta parceria. Agradecemos imensamente pela confiança na nossa gestão e fazemos votos de que essa parceria continue por muitos anos”, afirma o presidente da Diretoria Executiva da Fepe, Alexandro Luiz Barbosa. Desde então já foram 400 cestas básicas entregues, sendo que a DS Curitiba é a maior doadora da Fepe neste período de pandemia. Foram 205 famílias beneficiadas de acordo com a necessidade de cada uma.
 
As entregas de cestas básicas e alimentos para projetos sociais e instituições sempre primaram pela solidariedade, um dos princípios da Delegacia Sindical de Curitiba. Para o diretor de Comunicações da entidade, Carlos José de Oliveira, as doações reforçam o caráter social do sindicato. “É nosso papel lutar por uma sociedade em que não seja necessário fazer doações de alimentos, que não existam pessoas com necessidades tão básicas. Que elas não precisem agradecer doações, mas que seja direito de todos ter as necessidades básicas atendidas. Enquanto isso cabe a todos nós exercer solidariedade”, afirma Carlos.
 
Entretanto, as doações não seriam possíveis sem o apoio dos filiados, que entraram nesta rede de solidariedade e apoiaram as ações sociais. Logo no início da pandemia, a conta bancária da DS Curitiba foi disponibilizada para doações voluntárias dos Auditores Fiscais, que foram de extrema importância e contribuíram para a manutenção das doações.
 
A DS Curitiba acredita que este é o momento de, mesmo que distantes, separados fisicamente, nos unirmos em prol daqueles que mais precisam e que, muitas vezes, não tiveram auxílio dos governos para passar por este momento. Agradecemos a todos que puderam contribuir e convidamos aqueles que puderem e quiserem contribuir para doarem qualquer valor.
 
Para saber todas as doações realizadas até o momento pela DS Curitiba e saber um pouco mais sobre cada projeto atendido, clique aqui. É possível ver também fotos das pessoas que foram atendidas com as doações clicando aqui.
 
Conta para depósito
Delegacia Sindical de Curitiba do SINDIFISCO NACIONAL
Banco do Brasil
Agência: 3273-5
Conta corrente: 173.774-0
CNPJ: 03.657.699/0009-02
 
Categorias:

Comentários

Comente esta notícia

código captcha