Clipping

Imagem

Paraná é o vice-campeão nacional em apreensão de muamba

A apreensão de mercadorias irregulares pela Receita Federal voltou a bater recorde em 2019. Segundo balanço divulgado ontem, o órgão confiscou R$ 3.256.750.247,91 em contrabando no ano passado, valor 3,22% maior que o registrado em 2018. Neste cenário, destaque para Paraná e São Paulo, que juntos representam quase a metade do valor apreendido no ano passado. São Paulo aparece no topo, com R$ 746,1 milhões em apreensões, seguido de perto pelo Paraná, R$ 733,7 milhões.
 
Do total de mercadorias apreendidas, os itens que lideraram a lista de bens apreendidos foram cigarros (35,67%), eletroeletrônicos (11,42%), vestuário (7,02%) e brinquedos (4,71%). O número de operações de vigilância e repressão aduaneira em 2019 também foi recorde, atingindo 4.955 operações contra 3.347 realizadas em 2018.
 
Para a Receita Federal, o resultado é fruto do investimento em tecnologia, da capacitação dos servidores e da utilização dos instrumentos adequados, como scanners e cães de faro, além da própria intensificação das operações de vigilância e repressão aduaneira.
 
Cocaína
Além disso, o Paraná também é um dos estados com mais apreensões de cocaína feitas pela Receita. Em 2019, foram 15,23 toneladas só no Porto de Paranaguá, um recorde histórico para a unidade aduaneira, já que supera em 211% o montante apreendido em 2018, que foi de 4,89 toneladas. Essas mais de 15 toneladas representaram 26% do total de cocaína apreendidoa no País, que foi de 57,15 toneladas.

Fonte: Bem Paraná

Comente esta notícia

código captcha